26 de mai de 2010

De autor para leitor

Helô Bacichette e Eloir, da Biblioteca
O movimento, que tem como intuito aproximar o livro literário e a leitura do nosso cotidiano, se faz presente de norte a sul,em deliciosas jornadas, com o fim de fazer do Brasil um país literário - http://www.brasilliterario.org.br.
O caminho nem sempre é fácil, dá trabalho, cansa, vira os ânimos da gente de ponta cabeça. Convive-se com imprevistos e surpresas de todas as espécies. Mas, ao se encontrar com o olhar encantado do leitor, tudo isso se desfaz e concluo, sempre, que valeu e está valendo a pena. Colocar-se nessa jornada implica em coragem e amor às histórias. Nesse momento que escrevo, no final do dia 25, viajo de ônibus de Caxias do Sul ao aeroporto de Porto Alegre. Em seguida um vôo, já tarde da noite, que me levará até a cidade que moro. Estarei chegando em casa por volta da uma da madrugada, após uma maratona que começou as seis da manhã.  (Agora, a voz forte e melodiosa de Amy Winehouse me distrai).


as meninas da IFRS

Há que se ter risos, afetos e o coração bem aberto, para vivenciar de bom grado, essas andanças que nos levam ao encontro do leitor. Para mim é o seu carinho, o abraço caloroso e verdadeiro que me acolhe, os olhos que dizem o que a palavra não revela, a palavra -gratidão, palavra-força e a palavra-ternura que explode da sua boca, que me animam e reafirmam ao meu ser, algumas vezes tonto com as peripécias, o que é preciso fazer para se fazer presente e, asseguram que estou no caminho certo; que ele é belo e de valor, porque útil ao universo desse sujeito, que vem ao meu encontro com disponibilidade e amorosidade.
Nesse Seminário Internacional de Literatura e Leitura, organizado pela Biblioteca Municipal Dr. Demétrio Niederauer, em Caxias do Sul, encontrei colegas de palavra escrita e palavra falada; futuros colegas; outros, somente admiradores da arte literária, mas cientes do seu valor simbólico; estudantes; promotores de leitura; criaturas iluminadas que fazem da literatura um organismo vivo e atuante.

narradoras do Contapete

Por eles, esses agentes do reencantamento, é que viajo por esse mundo afora, seja de dia ou de noite; pela terra ou pelo ar; sob o sol ou sob a chuva; cruzando campos, subindo serras, ciente de que a palavra que digo repercute em cada um deles. Por isso ando, de mãos dadas com a alegria e com esperança, ao ver como a arte literária faz eco na alma do leitor.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog