26 de mai de 2010

De autor para leitor

Helô Bacichette e Eloir, da Biblioteca
O movimento, que tem como intuito aproximar o livro literário e a leitura do nosso cotidiano, se faz presente de norte a sul,em deliciosas jornadas, com o fim de fazer do Brasil um país literário - http://www.brasilliterario.org.br.
O caminho nem sempre é fácil, dá trabalho, cansa, vira os ânimos da gente de ponta cabeça. Convive-se com imprevistos e surpresas de todas as espécies. Mas, ao se encontrar com o olhar encantado do leitor, tudo isso se desfaz e concluo, sempre, que valeu e está valendo a pena. Colocar-se nessa jornada implica em coragem e amor às histórias. Nesse momento que escrevo, no final do dia 25, viajo de ônibus de Caxias do Sul ao aeroporto de Porto Alegre. Em seguida um vôo, já tarde da noite, que me levará até a cidade que moro. Estarei chegando em casa por volta da uma da madrugada, após uma maratona que começou as seis da manhã.  (Agora, a voz forte e melodiosa de Amy Winehouse me distrai).


as meninas da IFRS

Há que se ter risos, afetos e o coração bem aberto, para vivenciar de bom grado, essas andanças que nos levam ao encontro do leitor. Para mim é o seu carinho, o abraço caloroso e verdadeiro que me acolhe, os olhos que dizem o que a palavra não revela, a palavra -gratidão, palavra-força e a palavra-ternura que explode da sua boca, que me animam e reafirmam ao meu ser, algumas vezes tonto com as peripécias, o que é preciso fazer para se fazer presente e, asseguram que estou no caminho certo; que ele é belo e de valor, porque útil ao universo desse sujeito, que vem ao meu encontro com disponibilidade e amorosidade.
Nesse Seminário Internacional de Literatura e Leitura, organizado pela Biblioteca Municipal Dr. Demétrio Niederauer, em Caxias do Sul, encontrei colegas de palavra escrita e palavra falada; futuros colegas; outros, somente admiradores da arte literária, mas cientes do seu valor simbólico; estudantes; promotores de leitura; criaturas iluminadas que fazem da literatura um organismo vivo e atuante.

narradoras do Contapete

Por eles, esses agentes do reencantamento, é que viajo por esse mundo afora, seja de dia ou de noite; pela terra ou pelo ar; sob o sol ou sob a chuva; cruzando campos, subindo serras, ciente de que a palavra que digo repercute em cada um deles. Por isso ando, de mãos dadas com a alegria e com esperança, ao ver como a arte literária faz eco na alma do leitor.


23 de mai de 2010

Inclusão digital com os Formosos Monstros



Estive com um grupo de crianças, na faixa de 8 a 13 anos, pesquisando as possibilidades da mídia Formosos Monstros, no espaço Internet Livre do Sesc Carmo-SP. Essa tecnologia é um jogo, onde a criança poderá conhecer os monstros da mitologia universal. Para isso ela deve vencer alguns desafios. Ao superar uma etapa do jogo, ela entra num novo cenário e conhece um novo monstro, seja do Brasil ou da Oceania.

Cada cenário é palco de descobertas sobre cultura e oferece condições, para se exercitar a generosidade e a paciência. Observamos que as crianças estão acostumadas com games de que priorizam a iteratividade e não a interatividade. Como observou Soraya, coordenadora do programa Curumim,  "eles estão habituados ao PlayStation. Lá se clica várias teclas ao mesmo tempo e com muita rapidez". E, inicialmente, a mídia causou estranheza, porque para interagir eles precisavam parar, ler, pensar, buscar ajuda, ouvir. Habilidades que não são muito exploradas nos games


Vencida a primeira etapa que é a familiarização com a arquitetura do jogo surgiu o prazer. A chegada a um novo cenário era comemorada. Vibravam "conseguiiii". As crianças que jogavam em duplas compartilhavam as descobertas, ajudavam-se mutuamente e praticavam a solidariedade. Os mais afoitos e pouco chegados à leitura paravam direto no limbo, espaço do Ceifador, criatura implacável. Se o jogador não tiver o que ele pedir; não tiver praticado uma boa ação, o que equivale a vida, cai fora do jogo e deve começar de novo.
No fim foi uma festa e a certeza de que, as novas tecnologias carregam possibilidades lúdicas e educativas, e provocam o encantamento e a expansão das possibilidades do sujeito.




21 de mai de 2010

De namorico com o medo


Outro comentário espirituoso de crianças de 4 anos, durante o espetáculo Formosos Monstros, no Sesc Carmo: "Eu to com medo e você?" pergunta uma pequena para o amigo. "Ah, eu to, mas eu quero ver mais."

11 de mai de 2010

Fragmentos do Fórum SM de Educação em SP - sem imagens!

Gosto dessa possibilidade de agregar fotos aos textos. Muitas vezes a imagem dá conta de dizer aquilo que a gente não consegue. Estou sem digital para registrar os eventos. Fui roubada no aeroporto Santos Dumont. Detalhe: a máquina sumiu de dentro da minha mala após fazer o despacho no balcão da Gol. O cadeado permanecia intacto. Mas a máquina não estava mais lá. Uma mágica. É isso. Dentro do aeroporto internacional do Rio de Janeiro, eles fazem mágicas e furtam nossos pertences. Ninguém se manifesta. Ninguém sabe. Ninguém viu. A companhia aérea se limita a dizer "a senhora sabe que objetos de valor devem ser levados na bagagem de mão". Sim, eu sei.
É muito chato ser roubado. Uma sensação de invasão. Desrespeita a condição de ser humano.Muitas vezes roubam, não apenas objetos materiais, mas a nossa paz, a serenidade, energia. Vampiros estão soltos por aí. Valorizam tão pouco a si próprios, que se dão ao direito de ultrapassar os limites éticos e agredim seus comparsas, com atitudes e palavras.
Uma das imagens mostrada pelo professor Saul Neves de Jesus, da Universidade de Algarve, Portugal,  mostrava numa charge, um sujeito, que ao olhar para dentro da sua mochila, exibia um sorriso de orgulho. Mas, ao olhar para dentro da mochila do colega fazia cara de reprovação. Em seguida, um texto que falava coisas como "se eu demoro para entregar um trabalho é porque sou cuidadoso; se o outro demora é porque ele é preguiçoso". Ou seja, estamos empre olhando nossas virtudes... e os defeitos alheios.
Já, Yves de La Taille, da USP, traz a reflexão sobre ética e sentido, a ao falar de disciplina ele questiona "de que serve ser disciplinado, obediente, ser um aluno nota dez, se é um sujeito nota 0, que desrespeita o próximo nas mínimas coisas?"
Sabemos que dessa atitude o mundo tá cheio. É fácil apontar o dedo para fora e dizer "porque você faz isso, você faz aquilo", ou ainda "eu fiz o que fiz, por que você fez o que fez". Sempre se busca uma justificativa para não se assumir a responsabilidade pelos nossos atos, ou a falta deles. Como diz Yves, na sociedade do tédio e da sedução, fica faltando o sentido, que é dado (também) pelos princípios. Sem eles fica fácil roubar o outro. Tanto coisas materiais, como alegrias e esperanças. E assim, vamos construindo um mundo de violência, intolerância e, na escola isso se traduz também em indisciplina, o que leva a consequências desastrosas.
No Fórum, eu contribui com a narrativa mítica do povo Kaingang, a conquista do fogo . Deixo então para o seu imaginário construir essa imagem do fogo, enquanto luz e consciência. Que venha o fogo purificador, nos trazer um novo olhar, um novo coração para abrigar o mundo.

8 de mai de 2010

A internet aproximando o narrador do ouvinte

Nome = Fabiana Maria Paixão Gulin . E-mail = . Mensagem = Oi Cléo,eu estudo no CIESC Imaculada Conceição, eu assisti vc. Sua apresentação foi muito legal,espero que vc fassa muito sucesso! Espero respostas, Beijos,Fabiana . ======================== Esse formulário foi enviado atráves do site www.cleobusatto.com.br. ===========================

Nome = kaonamy de mello costa . E-mail = . Mensagem = oi cleo vc contou uma hístoria muito legal cleo você vem aqui de novo contar mais hístorias aqui na escola anício teixeira . ======================== Esse formulário foi enviado atráves do site www.cleobusatto.com.br. ===========================

Nome = gabriel krupnicki pinheiro . E-mail = . Mensagem = oi. eu som lada escola paulo freire e gostei muito da sua estoria. . ======================== Esse formulário foi enviado atráves do site www.cleobusatto.com.br. ===========================

* os emails foram excluídos.

7 de mai de 2010

Narrativa mítica na abertura do Fórum

Fórum SM de Educação acontece na próxima semana em São Paulo e no Rio de Janeiro

Pesquisadores discutem mudanças na sala de aula contemporânea. Para refletir sobre as novas formas de educar dentro da sala de aula, Edições SM realiza em São Paulo, na próxima terça-feira, 11 de maio, o Fórum SM de Educação, com o tema: A sala de aula em transformação: espaço de aprendizagem e participação.
O evento tem como objetivo discutir o modelo de aula mais adequado para as novas gerações de alunos que apresentam características culturais e cognitivas diferentes, como, por exemplo, dificuldade de se concentrar por longo tempo e familiaridade com a linguagem multimídia. Para debater essa nova realidade, estão convidados dois expoentes da educação, Saul Neves de Jesus e Yves de La Taille.
Uma nova aula para as novas gerações: a didática da escola do século XXI é o tema que será abordado por Saul Neves de Jesus, pesquisador, professor e doutor em Psicologia da Educação pela Universidade de Coimbra e professor catedrático do Grupo de Psicologia da Universidade do Algarve, em Portugal.
Yves de La Taille faz a palestra Convivência, diálogo, participação: condição de aprendizagem. Vencedor do prêmio Jabuti de 2007 pela publicação de Moral e ética, dimensões educacionais e afetivas, Yves de La Taille é professor titular do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo e desenvolve pesquisas na área da Psicologia Moral, com livros publicados sobre o tema.

Para abrir o evento, a escritora Cléo Busatto narra a história A conquista do fogo. Mediadora em projetos de oralidade, leitura e literatura infanto-juvenil, ela é mestre em Teoria Literária pela Universidade Federal de Santa Catarina e autora de livros como Paiquerê e Pedro e o Cruzeiro do Sul, ambos publicados por Edições SM.

Em São Paulo, o Fórum SM de Educação acontece no dia 11 de maio (próxima terça), das 8h às 12h, no Memorial da América Latina, Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664 - Barra Funda.
No Rio de Janeiro, será no dia 13 de maio (quinta-feira), no mesmo horário, no Hotel Sofitel, localizado na Av. Atlântica, 4240, Copacabana.
As inscrições para a participação gratuita podem ser feitas pelos telefones (11) 2111-7431, 0800-773-5530 ou pelo e-mail eventos.brasil@grupo-sm.com.



5 de mai de 2010

Flagrantes da sedução após os 80

Hoje presenciei uma cena bela. Cenário: academia, pela manhã. Personagens: jovens sarados, donas-de-casa e pessoas passando dos 70 anos.
Quando se presencia o jogo de sedução entre os jovem, a gente nem liga. É normal, natural, presente nas novelas, na maioria dos filmes e no dia-a-dia.
Porém, hoje, meu olhar focou o diferente e talvez por isso mesmo, belo.
Um senhor, pra lá de 80, com sequelas de um derrame, exercitava-se num aparelho, ao lado do corredor. Entra um outro, na  mesma faixa etária e, silencioso, sem ser visto, com ar de menino travesso, faz cócegas na careca do amigo e os dois se cumprimentam e conversam animadamente. Chega uma senhora, também nessa idade e, como se não visse esses dois amigos há muito tempo, faz festa. A saudação é tradicional, um aperto de mão. Mas, logo percebo que o olhar dessa mulher lança faíscas para um deles, e é correspondida. Ela se movimenta lenta, porém sensual; a cabeça pende para um lado; a mão cria um gesto suave; o impulso do corpo em direção ao homem; o sorriso aberto e luminoso. E ele, receptivo, fazendo a corte.
O tempo parou naquele instante de sedução e prazer. E eu me enchi de alegria ao ver a vida pulsando e sentir que a libido fluia por ali.

Arquivo do blog