5 de jan de 2011

Presente de aniversário - antes de tudo a minha boa companhia!

Sábado à tarde. Estou num ônibus. Calor e monotonia. Ele entra. Cabeleira branca e farta. Um livro nas mãos. Diz boa tarde em voz alta, para quem quiser ouvir. Olho de soslaio e respondo baixo, cabeça baixa - boa tarde.

- Não. Você não vai ter uma boa tarde, ele responde. Fico intrigada. O que ele vai me dizer agora? E já imagino um fanático religioso com um discurso pronto. Antes que eu pense em responder, ele me oferece seu desejo - você vai ter uma ótima tarde.

Senta ao meu lado, pergunta meu nome. Respondo. Animado, ele me interroga, olho no olho, só risos. - E o nome dele? questiona com sorriso maroto. De novo imagino uma resposta evangélica. Penso, lá vem um doutrinador de ônibus, que quer que eu responda, Deus!

Na dúvida pergunto - ele quem? - Ora, ele, o seu amor? - Ahhhh! suspiro aliviada - ele ainda não chegou. O homem dos cabelos brancos não se intimida, profetiza - ele chegará, meu amorzinho, chegará. Me diga...

Continua a olhar pra dentro de mim, carinhosamente, se fazendo próximo. - Qual o ser mais importante pra você? Continuo achando que a qualquer momento ele vai sacar a Bíblia e começar a pregação. Resolvo me antecipar e apontando com o dedo para o alto, respondo com a pergunta - o Pai?

Cabelos Brancos me surpreende. - Não, meu amorzinho! Você é que deve ser o ser mais importante pra você. Sabe aqueles dias que a gente está triste? Pegue seus problemas e tranque num cofre e se leve pra passear, ver vitrines. Vá a um bosque e pise na grama. Depois viaje até a Itália, comendo um espaguete all dente, com um copo de vinho.

E continuou afirmando que eu deveria ser a pessoa mais importante pra mim. Eu, ali, pequenina, olhos marejados, desacreditada, vazia. Cabelos Brancos fala de Gandhi, fraternidade, ser, fazer. - Livros fechados são nossos amigos esperando pra conversar conosco, confidencia. E canta para mim, com voz de tenor.

O ônibus segue seu trajeto. Já não é o mesmo.

E nesse meu aniversário reafirmo para mim, oferecendo à você este conto, que a pessoa mais importante para a gente somos nós mesmos.

4 comentários:

  1. Oi Cleo! A partir da sua visita no Sobre Educação, conheci seu espaço e venho acompanhando um pouco do seu trabalho, estou a ler algumas de suas publicações. Sou uma apaixonada por literatura infantil, e tenho algumas coisas rabiscadas, mas como nao tenho um espaço proprio para eles, vez ou outra publico alguma coisa no blog.

    Desejando-lhe um super ano...
    Com um abraço, Elis

    ResponderExcluir
  2. Cleo, gostei tanto do que vi, que fiz uma postagem no Sobre Educação divulgando [http://sobreeducacao.blogspot.com/] Parabéns pelo trabalho lindo e tão importante que você realiza.
    Um abraço, Elis.

    ResponderExcluir
  3. Amei! Concordo plenamente, mas não somos muito se o mais importante for só a gente.

    ResponderExcluir
  4. Caríssima Cléo,

    Então é assim... você faz aniversário e quem ganha presente? Nós que do Norte, Nordeste, Sul, Sudeste... sentimos o cheiro de gente boa a nos alimentar a alma com seus contos e encantos ou desencantos, porque a vida é um ciclo, e nós estamos aqui para provar todo o sabor que a vida tem. Não é meu bem? Desejo a você um buquê de raras alegrias para os próximos dias

    ResponderExcluir

Arquivo do blog