15 de dez de 2013

A estrela de Belém 2

mandala-estrela construída para a procissão de Corpus Christi
Antonina, PR, 2007
De tempos em tempos me aproprio de algumas palavras-força para me guiarem na caminhada (e percebo temas recorrentes na minha escrita, como caminho e caminhar). As eleitas nesse momento são vontade, amor, sabedoria e atividade. Vontade, enquanto o impulso para criar. Amor, como o alimento da sabedoria. Sabedoria, enquanto entendimento sobre o uso da vontade e atividade, como a ação exercida em todos os planos, com a intenção de empurrar o universo para frente e alterar a minha própria história.
Depois de uma estação sombria onde essas quatro palavras correram o risco de perder sua força, recupero o influxo da energia da vontade, do amor, da sabedoria e da atividade. Vou me reencontrar junto à natureza. Ela continua sendo para mim, a cura. Vou me purificar ouvindo o silêncio, pisando na terra e me banhando nas fontes. Vou arrancar do meu corpo e do meu espírito os venenos que minam a vida, como emoções, pensamentos e relacionamentos tóxicos. Vou fechar os olhos de fora e silenciar a voz da autoridade que vem do externo.
Vou olhar com os olhos de dentro, com gratidão e amor, a caminhada que fiz e reconhecê-la como expressão da sabedoria. Olhar a minha alma com olhos generosos e dizer sim para a vida. Vou celebrar o sim, e repeti-lo com entusiasmo, tantas vezes for preciso para conseguir dizê-lo com a autoridade que vem de dentro. Sim. Sim. Sim. Vou me permitir morrer, me transformar, e aceitar com alegria aquilo que virei a ser. Não discutirei com os ritos do mundo inferior. Reaprenderei sobre o sentido da entrega e farei das palavras de são João da Cruz, as minhas, “se alguém quer estar certo do caminho que percorre, deve cerrar os olhos e caminhar no escuro”.
Voltarei a habitar a casa de dentro onde mora a fé e ouvirei com gosto a melodia harmônica do meu coração. Vou olhar com compaixão para a minha criação e escrever aquilo que minha alma quer expressar. Vou fazer da minha vida um corpo de vontade, amor, sabedoria e atividade. O mundo está em mim. Isso tudo, para mim, é o sentido do Natal e coincide com a virada do meu ciclo pessoal. Seguirei a estrela de Belém que acena para mim no fundo do horizonte escuro, reencontrarei o Menino Deus e renascerei na véspera do dia dos Reis. Até lá, estarei me gestando.

                                      Feliz Natal e obrigada pela companhia durante ano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog