16 de mar de 2010

Transdisciplinaridade

Encontro dos membros do Cetrans, 12 a 14 de março. Instituto Jatobás, Fazenda dos Bambus.

No viveiro, estandartes com frases como essas, enquanto Bach fica tocando, dia e noite, para os brotinhos se alegrarem e romperem a terra em direção a luz:"A quarta verdade que o bambu nos ensina é não criar galhos.Como tem a meta no alto e vive em moita, em comunidade,o bambu não se permite criar galhos.Nós perdemos muito tempo na vida tentando proteger nossos galhos, coisas insignificantes, as quais damos um valor inestimável.Para ganhar é preciso perder tudo aquilo que nos impede de subir suavemente." E essa: "O bambu é oco, vazio de si mesmo. Enquanto não nos esvaziarmos de tudo aquilo que nos preenche, que rouba nosso tempo, que tira nossa paz,não seremos felizes. Ser oco significa estar pronto para se encher de Espírito Santo."

O terceiro incluído em Lupasco. O sagrado para Heiddeger e Nishitani. Nessa proposta de dois dias, caminhar movidos pela "simetria afetiva" e "assimetria cognitiva".

O terceiro incluído não permite que se perca a particularidade. Nessa lógica, as contradições são mantidas, aceitas. Considera-se a mudança, movimentos. Leva-se em conta o tempo e espaço, as diversificações, identificações, potencialização e atualização. Esse estado T emerge e contem as características macroscópica, psicológica, estética, afetiva, paradoxal.

O ser e sunyata . O niilismo carregando consigo tudo o que encontra pela frente, como uma grande boca negra, devoradora e não devolutora,vácuo espiritual. Retrato da contemporaneidade.Como voltar para casa, para a morada original? Qual é a saída?
Os dois sugerem a experiência da transcendência para além de todo horizonte metafísico. O "deixar-ser do pensamento meditativo" de Heidegger. A "vivência religiosa radical por meio do sunyata,a nadidade absoluta", de Nishitani."Na Grande Morte. céus e terra tornam-se novos."

Como viver o espírito transdisciplinar? Como estar no mundo e atuar nele e com ele, feito bambu, flexível e oco? Como se manter desperto e atento em meio a tantos ruídos? Como fazer da escuta um exercício de sensibilidade?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog