12 de set de 2011

Brincando nas cabeleiras de Naipi

narrando Naipi e Tarobá
Quando fui convidada a participar e contar histórias no Salão Internacional do Livro de Foz do Iguaçu logo pensei, vou narrar as histórias do Paiquerê, vou levar para o público de Foz, minha leitura dos seus Naipi e Tarobá. Esses personagens estão vivos no imaginário daquela comunidade. Naipi vive ali perto, nas águas do Salto União, ao lado do seu amado Tarobá. Bastam alguns quilômetros para chegar a sua casa e ouvir seu lamento.
autografando O Fio da História
Foz do Iguaçu vive sob uma multiplicidade de signos. Tríplice fronteira, turismo internacional, tráfico, violência, Itaipu, natureza exuberante, projetos ousados  nas diversas áreas. Simultaneamente, convive com uma mitologia rica legada por tantos povos que passaram e passam por lá. Guaranis, Kaingangs, hispânicos, orientais, europeus, africanos, asiáticos, gente dos quatro cantos do Brasil. Ali se respira o transdisciplinar, transcultural, transreligioso.

.....
E isso a gente vê e sente na atitude das pessoas. Só quem convive com essa multiplicidade de estímulos sensoriais, afetivos, cognitivos e simbólicos consegue estar e ficar atento, numa plateia heterogênea e com interesses tão distintos. Li e contei histórias em sessões que tinham entre 100 e 200 pessoas.

acolhida calorosa da Claudia
 Participaram, ao mesmo tempo, alunos da Educação Infantil, Ensino Médio, e alunos com necessidades especiais. Para mim um desafio, sem dúvida. Não pensei muito, nem mesmo questionei se poderia não dar certo. Eles já estavam ali, agora era envolvê-los através do imaginário que eu havia me proposto. Deu certo.
...
E ainda fui agraciada com uma trilha sonora ao vivo, que não estava no programa. Vi crianças exercendo a sociabilidade com livros na mão. Crianças lendo, mergulhadas no seu mundo interno. Crianças trocando informação sobre o livro. Crianças praticando os afetos a partir das histórias. Assim foi a minha passagem por Foz do Iguaçu. Embalada pelo carinho e atenção de todos os envolvidos no Salão do Livro, onde funções e cargos se diluíram e revelaram a humanidade dos seus sujeitos. 

com a lindura da Joane
A gentileza e a delicadeza constroem a paz.
 Fotos de Tonico Lopes



2 comentários:

  1. Com que satisfação, com que admiração por si e pela sua partilha, deixo

    Um imenso abraço,

    Leonardo B.

    ResponderExcluir

Arquivo do blog