19 de nov de 2011

Palmas do Tocantins



Palmas, coração do Brasil. Cerrado virando floresta. É quente. Torra os miolos, amolece o juízo. É Norte. Dimensiona nossa pequenez. 
Negra índia mameluco. Tem sabor de fruta ardida, pequi. É ampla. Tem a imensidão do universo contida numa corriqueira flor amarela. Ela faz diferença.
Aqui o II Festival de Causos e Poesia Declamada, promovido pelo SESC Palmas. Na semi-final, cinco representantes de cada categoria concorrem no dia 19 a etapa final. Eu estarei no juri para selecionar os vencedores. Uia! Que responsabilidade.
Logo eu que treino meu olhar para ver o que cada um carrega de mais precioso. Afinal, somos todos portadores de beleza. 

Agostinho Seringueiro, finalista na categoria Poema.

2 comentários:

Arquivo do blog