13 de set de 2014

As faces do amor (1)

anjos de W.A.Bouguereau
Na Grécia Antiga, os rapsodos cantavam histórias sobre a gestação do mundo. No início só existia o Caos, treva insondável, abismo profundo. Nele vivia Nix, a Noite, sua filha silenciosa, escura e vazia. Ali também vivia Érebo, irmão da Noite e morada de Thanatos, a Morte. Misteriosamente, das trevas e da morte nasceu Eros, o Amor. O Amor criou a luz, o dia e a vida.
Que imagem linda para deitar os olhos. Quando tudo vira trevas dentro de nós, lembramos que nela também se encontra o amor, deixamos que ele se manifeste, em forma de vida, e tudo vira luz.
Ah! Amor. O amor tem muitas caras. Para Rumi, o amor é sagrado, e na experiência amorosa sentimos o coração pulsante de Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog