28 de dez. de 2020

Retrospectiva 2020


Este foi um ano que gostaríamos de riscar das nossas vidas. Está no finalzinho...ufa! e ainda dá tempo para fazer a retrospectiva, mas só das coisas boas. Tivemos que aprender novas formas de se colocar no mundo e de estar com as pessoas.

Foi um ano de muito trabalho. Eu e a equipe da CLB investimos em produções que pudessem ajudar as pessoas que precisaram ficar em casa, principalmente as crianças. Foram produzidos em torno de 50 vídeos. Retomei as narrações de histórias no meio digital, agora de uma forma quase artesanal: sem estúdio, sem grande equipe, sem equipamento sofisticado. Feito em casa, assim poderia se chamar essas produções de 2020. Foram produzidas com carinho e tiveram uma boa recepção do público. Um olhar para o mês a mês de 2020:

Janeiro e fevereiro

Foram meses de início da produção de dois projetos literários que contemplam a produção de livro e ações de mediação de leitura: Os Minúsculos, concluído nesse ano e Quatro histórias de amor para pequenos leitores. Deste segundo resolvi produzir apenas o livro e transferi as ações presenciais para 2021, já que elas atenderão às crianças da rede pública de ensino de Curitiba.

Março

Início do isolamento em Curitiba. Foi cada um para a sua casa e começamos a trabalhar virtualmente. Tudo começou com o chamado da Vânia, amiga brasileira que mora em Verona e coordena uma ação de português como língua de herança: Bambalalão. Ela sugeriu que eu gravasse uma história para Francesca, sua filha. Isto a ajudaria a suportar a quarentena que na Itália foi bem rígida. Gravei 5 vídeos que vocês podem assistir no meu canal https://www.youtube.com/user/clbprodu

Escolhi contos do livro Histórias que eu gosto de contar: Flor da Lua. A vida escondida no ovo. As oito fadas. Kintu e Nambi e um conto de minha autoria, Pinguim Tombim.

Abril

Continuei gravando as histórias e neste mês trouxe contos do livro Mitologia dos 4 Elementos: UirapuruPaiquerê, o paraíso dos Kaingang: A conquista do fogo. Um trecho do livro Pedro e o Cruzeiro do Sul e um conto da tradição budista: Buda papagaio.

Maio

Produzimos 3 vídeos de histórias:  Paulino, o destemido. O tempo das coisas e o Livro dos números, bichos e flores. Iniciei a produção de dicas sobre leitura, literatura e contação de histórias. Foram 5 vídeos com os temas: Se liga no livro. Criança leitora não se deixa enganar.  Fantasia alimenta. Que história para contar. A literatura humaniza.

Começaram a pipocar as lives, afinal era a única forma de estar com as pessoas e transmitir conteúdos educacionais: O segredos da literatura, para o projeto de extensão UERN vai à Escola, desenvolvido pela Faculdade de Educação da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. E, Como mediar a leitura literária em plataformas digitais, para a plataforma de leitura digital @arvoredelivros .

Maio e junho foi minha estreia no ensino virtual. A convite da Poiesis e da Oficinas Culturais do Estado de São Paulo realizei o curso Como contar histórias em tempos de quarentena

Junho

Foram produzidos 4 vídeos de dicas: A literatura acolhe. Histórias com alma. Benefícios da leitura. Efeitos e afetos das histórias. E iniciamos a série Lendas brasileiras. O público pode rever a produção realizada em 2002.  Para esse mês escolhemos os contos:  Cabra Cabriola, Comadre Florzinha, Iara e Bruxa.

A convite da Associação Viva e Deixe Viver participei da live Benefícios da contação de histórias para proteger a saúde mental das crianças.

Julho

Para julho 5 dicas: Contar com o coração. O contador de histórias se forma lendo. Sentido do pertencimento. Ler ou contar. Uma boa história torna o mundo habitávelContinuamos com a postagem da série Lendas brasileiras: Boitatá, Caipora, Mão de Cabelo, Lobisomem, Mapinguari.

Participei do projeto Territórios da leitura, de Fortaleza, com a live A Mediação de Leitura na Educação Remota. E de um segundo projeto, Trilhas literárias, da Biblioteca Pública de Pinhais com uma live sobre minha trajetória profissional.

Agosto

Foram 4 dicas no mês: Qualidade literária. Visualização, condição para encantar. Estou no ritmo? E depois de contar uma história, o que fazer? Mais 3 vídeos da série Lendas brasileiras: Pé de garrafa. Tutu Marambaia. Papa-figo.

Nesses últimos meses dedicamos uma parte do tempo produzindo conteúdo para os editais emergenciais lançados pela Fundação Cultural de Curitiba e pela Secretaria da Comunicação Social e Cultura do Paraná. Foram dois projetos selecionados na FCC: Edital FCC digital, com o  vídeo Cléo Busatto na contação de histórias - A conquista do fogo e no edital Aldir Blanc com o conto, Diário de um pandemônio. Na SECC fomos selecionados nos editais: Obras digitais, com o livro falado Histórias que eu gosto de contar e Cultura feita em casa, com o conto Elal, o criador dos Tehuelche. Também fui agraciada com o Prêmio Trajetória.

Setembro

Em setembro começamos a mostrar os resultados do projeto Coleção Os Minúsculos e para o lançamento gravamos 5 vídeos, que você poderá ver nas redes, com trecho dos 5 livros.

Participei de uma live para a PaperPão sobre o conteúdo do livro Como vender bem, a arte de se comunicar contando histórias.

Outra boa notícia que compartilho com vocês foi a captação de recursos para um novo projeto para 2021, Um lago, um menino e a lua, com o Grupo Potencial.

Outubro

Mês dedicado a Coleção Os Minúsculos. Dia 1ª foi a live de lançamento com a presença da Marta Morais da Costa, a interlocutora literária a quem chamo de editora e Verônica Fukuda, a ilustradora. 

Continuamos na produção agora com a divulgação das palestras que deveriam ter sidos realizadas presencialmente em 13 Núcleos Regionais de Educação do Paraná, em abril. Com autorização da Secretaria Especial da Cultura, elas foram transferidas para novembro, com realização virtual.

Produzimos 1 book trailer que ficou uma graça e vários posts com frases do livro. Assim os leitores puderam conhecer do que se trata a obra.,

Achei um tempo para participar da live com o Willian Soares, do grupo de contadores de histórias, de Juazeiro, BA, sobre minha caminhada pela narração oral.

Outra boa notícia: fechei a captação de recursos para o projeto Quatro histórias de amor para pequenos leitores. Grata, patrocinadores: Serra Verde Express e Celepar.

Novembro

Mês das palestras virtuais do projeto Os Minúsculos com o tema:  Como realizar a mediação através das plataformas digitais. Fechamos o projeto com alegria e encontramos um tempinho para produzir mais 3 dicas:  Entonação ou intenção? Intenção correta, imagem. Estude a história.

Também foi o mês que voltei a atenção ao livro Quatro histórias de amor para pequenos leitores. Daqui a pouquinho ele chega. Está lindo, com as ilustrações do Mateus Rios.

Dezembro

O final do ano estava chegando. O espírito do Natal começou a se fazer presente e, mesmo com o cansaço do ano, a exaustão intelectual e a resignação diante da pandemia seguimos adiante. Afinal, que podemos fazer diante desse inimigo implacável? Ficar em casa e inventar modas. E a moda do mês se transformou em 2 campanhas:

Natal com livros: essa campanha presenteou 1 livro para cada criança moradora das instituições: UAI Madre Antônia e Fundação Iniciativa. Com a doação dos leitores foram distribuídos 53 livros da minha autoria: A fofa do terceiro andar, Coleção Os Minúsculos e Histórias que eu gosto de contar.

A segunda moda foi a produção da série Contos de Natal. Para essa campanha produzimos 4 contos, que eu narrei dezenas de vezes em apresentações presenciais: A estrela de Natal, São Nicolau e o Papai Noel, Befana e o Nascimento do Menino.

E por fim, o presente de Papai Noel: concluímos o patrocínio do projeto Um lago, um menino e a lua com a Copel. Aos nossos patrocinadores: Copel e Grupo Potencial, gratidão pela confiança no nosso trabalho.

Acho que deu, né? Espero que 2020 tenha nos ensinado que a força e a coragem residem em nós e que o caminho espiritual é uma via segura para quando tudo vira trevas dentro de nós.

Que venha 2021!!!

 

26 de ago. de 2020

E depois de contar uma história, o que fazer?

Pode ser que você já tenha se perguntado, e aí, depois que eu ler ou contar história pro meu filho, o que devo fazer? A princípio, nada. A leitura e a narrativa se bastam por si. Se a criança já lê sozinha, ela mesma vai elaborar os sentidos do que leu. Mas se foi você que contou uma história para ela, dê um tempo para que ela internalize o conto. Deixe que as imagens assentem e repercutam no seu íntimo. Permita que a criança viva os afetos despertados pela história e descubra se o que ela ouviu faz eco dentro de si. Muitas vezes a história lida ou ouvida conta algo sobre nós mesmos.

E, se mais tarde você quiser usar esta ação como estímulo para desenvolver alguma ação criativa, comece conversando sobre o que ela ouviu. Faça perguntas que ampliem os significados da história. Pergunte qual foi a imagem que ficou gravada na sua mente. Isto pode lhe dar um indício de como o conto tocou a criança e talvez, até entender alguns conflitos que ela possa estar vivendo. Boas histórias educam e curam a gente. 



19 de ago. de 2020

Estou no ritmo?

Hoje vou falar de ritmo. Ritmo sempre, do silencio ao som. A vida, é marcada pelo ritmo da respiração, da circulação, do movimento do corpo, da voz. Nós somos os fazedores do ritmo.

Imprimir ritmo numa narrativa, não quer dizer, apenas falar o texto rapidamente. Para que um texto tenha ritmo é preciso que ocorra a relação correta entre a emissão do texto e o momento de silenciar. O silêncio é uma das condições para encantar. O silêncio permite que o ouvinte vá até o cenário da história narrada e a ressiginifique com a sua própria história.

Ritmo também quer dizer pensar, ver o que está sendo narrado. O ato de pensar regulariza o ritmo da fala, estabelece segurança na emissão sonora e gera cadência. E aí, como está o seu ritmo hoje?



 

 

12 de ago. de 2020

Visualização, condição para encantar

 

O tema de hoje é visualização. A palavra não é apenas som, é evocação de imagens e imagens são fortes aliadas para a compreensão de um texto.

Só podemos falar daquilo que conhecemos, portanto “veja” o que você vai dizer e o outro “verá” o que você falou. Dê corpo às imagens da história visualizando o que você está lendo. Crie estas imagens na sua tela mental. Quanto mais claras elas forem para si, mais fácil será a visualização do ouvinte. 

Existem dois caminhos que levam ao imaginário e à formação das imagens: um deles é através da visão. Vejo algo, construo mentalmente a sua imagem e dou significados a ela. É o que acontece ao ler um livro, por exemplo. A segunda via é da audição: ouço um texto, construo a imagem do que foi dito e dou significados a ela. Isso ocorre numa leitura em voz alta ou contação de histórias. 

Viu só como você pode ajudar seu filho a ampliar o seu imaginário? 


5 de ago. de 2020

Qualidade literária

 

Hoje eu gostaria de falar sobre a escolha do livro literário que você vai ler, seja para você ou para as crianças. Uma das qualidades da boa literatura é a condição de apresentar imagens nítidas, memoráveis, que instigam o imaginário e levam o leitor até ao cenário da história narrada. Que fazem com que ele enxergue os personagens e suas características.

Para alguns leitores, o bom livro deve propor acordos poéticos e andar de mãos dadas com a fantasia. Deve dialogar com seus anseios e desejos. Outros buscam na literatura a provocação, a mudança de olhar. Alguns dizem, para mim o bom livro é aquele que toca o meu coração. E para você, qual é a qualidade que um livro literário deve ter, para entrar na sua casa?



 

29 de jul. de 2020

Uma boa história torna o mundo habitável


 Hoje quero apresentar uma dica para acalmar as crianças e preservar sua saúde mental e emocional. Tempos de incerteza pedem histórias que espalham a esperança. O critério você já sabe: conte aquela que lhe toca, que fala ao seu coração. 

As boas histórias tornam o mundo mais habitável, nos desligam das preocupações e nos conectam com nossa essência, o que é de grande valia nesses tempos difíceis. Elas ajudam a manter a serenidade e o equilíbrio. 

Então, que está esperando? Vai lá, pegue um livro e leia para o seu filho. Esta prática une a família. Pensa nisso.





22 de jul. de 2020

Ler ou contar?

 

Hoje vamos falar sobre a diferença entre ler e narrar. São propostas diferentes, mas igualmente necessárias para a formação da criança-leitora. Quando você lê um livro a autoridade está no livro. Quando você narra uma história de cabeça, a autoridade é o narrador, sua voz, seu corpo, seus afetos.

Seja como for, o mais importante é a qualidade do texto literário e vamos falar sobre isto em outro vídeo. Lembrando: o tempo da literatura é flexível e diferente do tempo das atividades escolares, que pede uma rotina com horários pré-estabelecidos. A leitura literária pode acontecer em diferentes momentos do dia, já que ela relaxa e traz a criança para o tempo presente.



15 de jul. de 2020

Sentido do pertencimento

 Voltei com outra dica que vai despertar afetos nas crianças. Contar histórias é trazer da memória o que estava no coração e fazer do coração uma só memória. Lembre-se da primeira história que você ouviu, aquela que lhe encantou quando era criança.

Agora leve esta história para seu filho, sua filha. Encante-a, como um dia você se encantou. Lembre-se das histórias de família, aquelas que criam uma conexão com a origem da criança. Elas são necessárias para criar o sentido do pertencimento ao núcleo familiar.



8 de jul. de 2020

O contador de histórias se forma lendo

 

A dica de hoje é prática e direta. Quer ser um bom contador de histórias? Então leia. Leia muito, mas leia com ponto, vírgula, interrogação, exclamação, suspense, encantamento e convencimento. Leia em voz alta e ouça a sua leitura. Perceba o que deve e pode ser alterado, para que ela se torne mais fluida e envolvente.

Faça da leitura e da contação de histórias um ato de amor. Esta ação aproxima os adultos das crianças. Leia para elas, nem que seja algumas páginas por dia. Leia uma história em capítulos, que tal? E antes de iniciar a leitura do dia, pergunte se ela lembra o que você leu no dia anterior. Isto ajudará a ela construir a história e a você perceber se ela está atenta à leitura.



2 de jul. de 2020

Contar com o coração

 

Quero oferecer uma dica que vai despertar nas crianças o gosto pela leitura e fazer de você o seu contador de histórias preferido. Sabe qual é o primeiro segredo da contacão de histórias? Contar com o coração. Isso quer dizer, estar disponível para esta ação e compartilhar com ela seus afetos e sua experiencia de vida.

E se você não consegue memorizar uma história, não tem problema. Abra um livro e leia, mas leia com vontade. Uma boa leitura pede intenção, pede ritmo, pede envolvimento com a história narrada. Então? Vai lá! Leia com a sua criança, leia para a sua criança.




24 de jun. de 2020

Efeitos e afetos das histórias

 

Hoje eu trouxe outra dica simples, mas necessária, para você que quer encantar as crianças contando histórias. Contar histórias é uma arte e os efeitos colaterais são muitos. Todos benéficos. Quer ver? Contar histórias aproxima as pessoas. Promove o encantamento. Distrai. Ensina a criança a nomear o que está sentindo. Acalma e ajuda ela a resolver os conflitos.

E aí você vai me perguntar, mas que história eu vou contar? Neste canal tem um dois vídeos aqui que fala exatamente sobre isso e um deles é exatamente sobre as histórias com alma. Estas são as histórias especiais que encantam e preparam o sono das crianças.



17 de jun. de 2020

Benefícios da leitura

 

Vamos combinar! Não custa lembrá-los sobre os benefícios da leitura. Criança que tem contato com os livros desde pequena, tem mais chances de se tornar uma leitora e a leitura por sua vez, é um excelente exercício para o cérebro: aumenta a capacidade de foco, de concentração, de percepção e da memória.

Criança leitora tem o vocabulário ampliado e consegue construir frases mais elaboradas, transmitir melhor as suas ideias. Corre. Oferece um livro para ela, leia com a sua criança, leia para a sua criança.



10 de jun. de 2020

Histórias com alma

 

Hoje quero falar sobre as histórias com alma. Estas histórias são aquelas que apresentam os valores universais e atemporais, falam de coisas que tocam as pessoas de agora e de outros tempos, falam de sentimentos sofrimento, a alegria, coragem e nos ensinam que isto faz parte do ser humano.

Eu sei que estamos vivendo momentos difíceis, e as crianças também sentem isso. Então leia uma história que fala ao coração, que propaga a esperança, traz conforto e alivia as pressões do dia-a-dia.  Fica esta dica como sugestão na hora de escolher o livro, que você vai ler para as crianças.



3 de jun. de 2020

A literatura acolhe

 

Hoje é dia de outra dica sobre leitura literária. Nós já falamos sobre a importância da literatura na formação das crianças e penso que a literatura nunca foi tão necessária quanto hoje. Neste momento em que tantas crianças continuam em isolamento social, é a hora certa de buscar o acolhimento da literatura.

Talvez nunca tenha sido tão urgente, ler ou ouvir livros envolventes e inteligentes e, daqueles que propagam a esperança e trazem alegria. É tempo de ler e ouvir narrativas que constroem e com olham o mundo com ternura, e lembre-se, a literatura nos prepara para a vida.  Escolha uma boa história e se encante na companhia das crianças.



29 de mai. de 2020

Que história contar?

Hoje eu gostaria de conversar com você sobre a escolha do livro literário que você vai ler, ou da história que você vai narrar para a sua criança.

Leia ou  conte a história que diz alguma coisa pra você, aquela que você gosta, que lhe toca de uma maneira especial. Esta é a história certa, porque se ela fala para você, certamente falará com seu filho. Ao escolher um conto, a gente estabelece certos critérios: afetivos, pedagógicos, literários. 

A nossa escolha acaba sendo um exemplo daquilo que a gente pensa, sente e acredita. Isso passa para a criança, isso chega como uma referência para o seu filho.



25 de mai. de 2020

A literatura humaniza


A conversa de hoje é sobre a importância da literatura na formação das crianças. Apesar de muitas pessoas considerarem a literatura como um passatempo desprovido de sentido, ela tem um grande poder, e é justamente este descomprometimento que carrega sua maior virtude. A literatura fala de coisas sérias de forma despojada. Fala de assuntos pesados de um jeito leve.  

Sem se dar conta, a criança acaba fazendo um exercício do espelhamento e, através da história do personagem, ela pode viver uma experiência íntima significativa e de história em história, ele vai se construindo. A literária educa e nos ensina a habitar poeticamente o mundo, nos torna mais humanos, solidários, tolerantes e amorosos. Que tal? E tudo isso através de uma história.




18 de mai. de 2020

Fantasia alimenta


O recado de hoje é para os pais que querem ver seu filho lendo, se tornando uma criança antenada, feliz, bem alimentada de fantasia. Para isso ela precisa ter acesso a livros literários de qualidade. Livros que falam de coisas lhe interessem, são úteis para construir a prática leitora. Assim, ela se encanta pela literatura e segue lendo vida afora, em qualquer situação.  

Você já parou para pensar que o livro não precisa de tomada pra funcionar? É um companheiro para todas as horas. Ele conforta, diverte e instrui.  Leia com seu filho, leia para seu filho, mostre que você também é um leitor, uma leitora, e construa o caminho para a formação do seu filho leitor.



13 de mai. de 2020

Criança leitora não se deixa enganar


O título da história de hoje é: criança-leitora não cai no conto do vigário. Quer ver uma criança com opinião própria, que predica, pesquisa, busca informações, que identifica pegadinhas e outros truques da internet e não se deixa enganar tão facilmente? Esta é uma criança-leitora.

A leitura amplia nossa capacidade de discernimento, nos ensina a ler o mundo que nos cerca. É! Porque ler não significa apenas ler um texto escrito, podemos ler uma expressão facial, uma postura corporal ou um subtexto, que é aquilo que está por trás das palavras, o verdadeiro sentido da comunicação.

Viu só como é importante dar livro para o seu filho? A literatura nos prepara para a vida.



4 de mai. de 2020

Se liga no livro

 

Inicio hoje, algumas postagens com dicas para pais, professores, mediadores de leitura e contadores de histórias. Aqui no blog vocês poderão ler o texto e podem assistir o vídeo disponibilizado no YouTube.

A primeira dica é para você, que é o primeiro mediador de leitura do seu filho. Lembre-se, rede social não forma leitor. Você deve saber que o gosto pela leitura se adquire lendo. Então, que tal propor ao seu filho: se desliga das redes, se liga nos livros! Você pode ajudá-lo.

Para começo de conversa é super importante criar um ambiente leitor, afinal, a gente também se forma através de exemplos, e uma criança que cresce numa casa que tem livros espalhados por ela, que vê os pais lerem, certamente vai ser um leitor. 



Encantados do Brasil

Arquivo do blog